O Que Eu Aprendi Esperando

Eu sei que falamos muitas vezes aqui sobre paciência e ansiedade, mas como eu fui muito testada nesses quesitos durante essa semana, quero compartilhar com vocês o que eu aprendi esperando.

Como sempre gosto de lembrar que não estou perfeita no que diz respeito a paciência e muito menos no quesito ansiedade. Mas como estava conversando com a minha mãe este tem sido um processo diário pra mim. Todos os dias o Espírito Santo tem me ensinado sobre esse fruto que tanto tem dificuldade para brotar no meu ramo, a paciência. Não é atoa que dizem que a paciência é uma virtude. E todos nós sabemos que os frutos do Espírito se manifestam em nós quando estamos cheios dele e tudo isso é um processo. Tem dia que avançamos e dias que recuamos, mas como Paulo prosseguimos para o alvo, sendo aperfeiçoados dia a dia pelo Espírito Santo, caminhando de batalha em batalha, de vitória em vitória até alcançarmos a estatura do varão perfeito.

E por causa dessas pequenas vitórias, quero enumerar algumas coisas que aprendi nas minhas lutas diárias contra a ansiedade e a caminho da paciência:

1. A ira do homem não opera a justiça de Deus (Tg 1.20): não importa quanto eu esperneie, nem quanto eu me revolte, não é isso que faz a mão de Deus se mover. Quando somos possuídos pela raiva saímos completamente do centro da vontade de Deus, então as nossas próprias vontades começam a nos governar. Deus não pode agir por causa da minha raiva, como um bom pai, Ele sabe que se fizer o que quero só porque estou gritando, vou acabar me tornando uma filha mimada. E não é isso que Ele deseja, Ele deseja e espera que eu seja madura pra ouvir não ou ainda não é o tempo para isso.

2. A vontade de Deus é boa perfeita e agradável (Rm 12.2): outra coisa que não move a mão de Deus é a minha vontade. Muitas vezes tenho sonhos e planos que não são os sonhos e planos de Deus pra mim, isso porque os meus sonhos e planos não estão alinhados com aquilo que o Senhor tem projetado para mim. Quando estou no centro da vontade de Deus, os nossos planos e sonhos serão os mesmos. Tudo que eu projeto para mim deve estar submisso (é importante lembrar aqui o significado da palavra submissão, estar sobre a mesma missão, alinhado, buscando o mesmo objetivo) ao projeto de Deus.

3. Há tempo para todas as coisas (Ec 3.1): é importante lembrar que o tempo de Deus não é o mesmo que o meu. Que um dia para o Senhor é como mil anos e mil anos como um dia. Deus sabe que não pode entregar para um filho pequeno uma faca, porque este não sabe lidar com uma. Mas um filho mais madura saberá como e quando usá-la. Vivemos em um mundo imediatista e por isso queremos tudo para ontem, mas Deus sabe o tempo certo para tudo, mesmo que os meus planos estejam alinhados com os dele, tudo acontecerá quando Ele determinar que deve acontecer. E isso não é ruim, é na verdade muito bom saber que você tem um Pai que zela por você e sabe exatamente o que você precisa e quando precisa.

Por enquanto vou me ater a essas três. E você pode achar que tudo que eu disse é muito clichê, e é mesmo. É muito comum as pessoas usarem esses textos para pessoas ansiosas e impacientes. Mas quando o Espirito Santo revela de fato essas passagens no nosso espírito, tudo começa a fazer sentido. Você aprende a esperar não somente porque sabe que Deus é um bom Pai, você aprende a esperar porque você realmente entende que nada está no seu controle, entende que você de fato pode esperar e descansar porque o seu Pai está cuidando de tudo. Você estende que esperar em Deus é na verdade caminhar em frente.


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Chega de mornidão!

A Graça é de Graça

Não Pare!